TESES DE INVESTIMENTO EM PRIVATE EQUITY

Qual será o parâmetro utilizado por uma gestora de Private Equity para escolher uma empresa na hora de investir os recursos financeiros? Não é simplesmente achar que determinada companhia tem potencial sem uma base fundamentada que justifique as aplicações. Muito menos por gosto pessoal de algum gestor.

Para isso, existem as Teses de Investimento.

O que são teses de investimento

Quando falamos em Private Equity, podemos definir uma tese de investimento como uma série de parâmetros a serem seguidos pelos gestores quanto à escolha das empresas que farão parte de seu portfólio de investimento. Dessa forma, o gestor e seu time criam filtros específicos, que julgam estar em sintonia com o perfil de investimento que querem fazer no mercado. Assim, atuando como pré-requisitos básicos que as empresas que pleiteiam capital devem preencher para que o processo de análise tenha continuidade, a mesma tem como principal função moldar o processo de análise e definir quais empresas se encaixam no perfil da gestora e poderão fazer parte do pipeline.  

A tese de investimento não é permanente, podendo mudar de acordo com as tendências de mercado e os objetivos da gestora em cada momento. Assim, a mesma pode ser considerada como elemento dinâmico.  

Há parâmetros mais e outros menos comuns que formam uma tese de investimento que seja satisfatória para que as gestoras de Private Equity balizem suas decisões em informações confiáveis.

Dentre os mais comuns, podemos citar:

  • Tamanho da empresa;
  • Volume de investimento;
  • Setor em que atua;
  • Tecnologia;
  • Modelo de negócios;
  • Localização.

Dentre os menos comuns, podemos citar:

  • Quantidade de sócios;
  • Arquitetura societária;
  • Perfil dos sócios;
  • Estágio de maturidade;
  • Valor de mercado (valuation);
  • Visão de longo prazo;
  • Necessidades da empresa (além do capital);
  • Mercado-alvo;
  • Empatia.

A DXA investe em empresas que possuem, primordialmente, as seguintes características:

     a) empresa com boa credibilidade e confiabilidade;

     b) estrutura organizacional que seja estável, mas capaz de facilitar a mudança contínua;

     c) setor empresarial e estratégia focados em explorar o crescimento da classe média no Brasil;

     d) vantagem competitiva sustentável;

     e) evento de liquidez esperado no prazo de dois a cinco anos;

     f) deve apresentar um crescimento elevado, potencial mínimo e potencial de retorno absoluto de investimento de três a cinco vezes o valor investido.

     g) deve estar inserida no segmento de PMEs (pequenas e médias empresas), apresentando um EBITDA inferior a R$ 5 milhões.

Além dos parâmetros de análise que citamos acima, a DXA tem como política NÃO investir em empresas que possuem as seguintes características:

    a) foco de negócios muito amplo, que poderiam exigir recursos além do que a empresa poderia contribuir nos anos seguintes;

     b) se enquadre ou tenha se enquadrado em alguma das seguintes situações nos dois anos anteriores: termo de acordo extrajudicial, reorganização, reorganização judicial, falência ou acordo de reestruturação financeira, ou, ainda, sofrer intervenção de qualquer autoridade competente;

     c) que possa causar qualquer dano ao meio ambiente como resultado de suas atividades;

     d) produção ou atividades que envolvam o trabalho forçado ou trabalho infantil;

     e) a produção ou o comércio de qualquer produto ou atividade considerada ilegal sob as leis do país de acolhimento ou regulamentos ou convenções e acordos internacionais;

     f) a DXA não investe em empresas que buscam a venda de 100% de suas ações, sendo imprescindível a participação dos empreendedores durante o período do investimento.


Dessa forma, preservamos a idoneidade e padronização dos nossos investimentos, maximizando nossos rendimentos com negócios sustentáveis e que demonstram capacidade de crescimento sólido nos períodos analisados.


  • Tese de investimento Alimentação Saudável


Tendo como base essas premissas, há parâmetros específicos que procuramos seguir quando, por exemplo, investimos em empresas de alimentação saudável - ramo do mercado em franco crescimento.

Dados apresentados pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), coletados em 12 regiões metropolitanas brasileiras, apontaram que 80% dos brasileiros buscam por uma alimentação mais saudável.

A busca por informações a respeito de alimentos mais nutritivos e saudáveis cresceu vertiginosamente nos últimos anos – especialmente com a pandemia do Covid-19 - e se consolidou como uma forte tendência de mercado. Os consumidores mais exigentes com relação a ingredientes e dados nutricionais dos produtos que adquirem, e mais engajados com os processos de produção. Assim, a maior preocupação referente a qualidade dos alimentos que consomem e suas origens se mostram muito presente nos dias atuais.

Por isso, de uma forma geral, as teses de investimento devem englobar uma visão holística dos fatores e tendências que compõem o mercado em questão.  

Aqui na DXA, investimos na empresa GREENPEOPLE, uma marca de alimentação saudável, especializada em sucos refrigerados 100% naturais. A empresa inaugurou tecnologias como HPP e prensagem a frio no mercado brasileiro, se tornando, assim, a primeira foodtech do país.

Trate-se de um mercado que movimenta 450 bilhões de reais por ano no país, o que corresponde a 20% de todo o setor alimentício. Os valores movimentados têm crescido por volta de 2% a cada ano.


  • Tese de investimento Pet


Após o sucesso do investimento na Zee.Dog, a DXA Invest acredita ter encontrado outro diamante bruto no mercado pet: a Docg, empresa inserida em seu portfólio de investidas no início de 2021.

O mercado pet fatura mais de 40 bilhões de reais por ano no Brasil e essa cifra vem crescendo mais de 10% ao ano. De 2019 para 2020, por exemplo, a alta foi de exatamente 13,5%. Assim, o setor de animais de estimação no Brasil – impulsionado pela relação diferenciada que o brasileiro possui com seu pet - se encontra atrás apenas daqueles vistos nos EUA e na China, as duas maiores economias do mundo.

Experiência da DXA no mercado

DXA Invest é nasceu em 2012, com o objetivo de investir em empresas inovadoras da economia real, e se tornou a primeira gestora de private equity fintech do Brasil. Nesse novo posicionamento, o relacionamento com os investidores é feito de forma 100% digital.

Composta por uma equipe diversa e inclusiva, a DXA acredita que sua missão é permitir que vidas possam ser mudadas por meio do acesso ao capital e a melhores oportunidades de investimento.


Agradecemos pelo interesse! Entraremos em contato em breve.
Não foi possível enviar! Por favor, tente novamente.
PT