No momento em que escrevemos este blog, janeiro de 2023, os investimentos de renda variável continuam incertos, pelas consequências da política econômica a ser adotada no novo governo. Por isso, focar em manter uma boa diversificação de sua carteira pode equilibrar seus riscos perante o mercado

Neste blog, você irá conferir: 

  1. Afinal, o que são investimentos privados?
  2. O mercado de privados no Brasil
  3. Vantagens de diversificar com private equity e venture capital
  • Afinal, o que são investimentos privados?

Os investimentos no mercado de privados focam em negócios que não possuem capital aberto, ou seja, que não têm ações listadas na bolsa de valores. Na medida em que as empresas se desenvolvem e seus lucros crescem, os retornos para os investidores podem ser bem elevados. 

No caso do private equity, o objetivo é aumentar o valor dessas companhias através de diversas estratégias, como a implementação de mudanças na gestão e estrutura da empresa ou através da expansão em novos mercados. Em seguida, a participação nos negócios é vendida por um preço mais alto. 

Coloque no radar: além do private equity, podemos destacar também o venture capital, operações de energia, operações agropecuárias, fundos de hedge, equity crowdfunding, colecionáveis (arte, vinhos e carros), entre outros. Como grande parte desses ativos atuam como uma estratégia de longo prazo, as oscilações macroeconômicas têm um impacto menor no portfólio.

  • O mercado de privados no Brasil

Aos poucos o private equity e venture capital têm se destacado no mercado brasileiro. Atualmente, existem duas formas de ter acesso a esse setor: na maioria das vezes, o investimento é feito através da compra de cotas de um fundo de privados. Já na segunda alternativa, o investimento é feito com uma gestora de investimentos, como a DXA Invest

Nas gestoras, o investidor tem uma relação mais ativa, escolhendo as empresas do portfólio, com contato direto com os empreendedores. Já no caso dos fundos, a pessoa não escolhe em quais empresas ou setores deseja investir, além de não adquirir diretamente a ação da companhia. 

As estatísticas não mentem: como prova do potencial dos privados, segundo um levantamento da KPMG em parceria com a ABVCAP, nos primeiros 6 meses de 2022, os aportes de private equity atingiram a marca de R$16,5 bilhões, o que representou uma alta de 617,4%, comparado aos R$2,3 bilhões observados no mesmo período de 2021.

  • Vantagens de diversificar com private equity e venture capital

Essa classe de ativos se destaca, principalmente, pelo alto retorno que pode entregar dentro do médio e longo prazo. Quando você decide optar por diversificar sua carteira investindo em empresas privadas, ao invés de ações de empresas listadas na bolsa, você consegue reduzir o risco de exposição à volatilidade do mercado aberto e, em paralelo, ter um potencial de retorno mais expressivo.

Fique de olho: uma boa alternativa para diversificação é adaptar o tradicional portfólio 60/40 com investimentos em privados, alocando de 15% a 20%, nos 60% reservados para ações. Com isso, sua carteira se mantém protegida das oscilações do mercado e ainda consegue alcançar lucros maiores.

E não para por aí: na DXA Invest, você conta com uma carteira administrada personalizada para o seu perfil de investidor. Nossos especialistas alinham a porcentagem de alocação e as companhias ideais para seu portfólio, além de te ajudarem a investir em diferentes teses e mercados, desde o setor pet até foodtechs ou energia

Publicado por Equipe DXA Invest.

Agradecemos pelo interesse! Entraremos em contato em breve.
Não foi possível enviar! Por favor, tente novamente.
PT