|
|

Private equity: o que esperar desse investimento privado em 2024?

O private equity é moldado pela dinâmica entre investidores que buscam por ganhos expressivos, através de empresas promissoras, que procuram por capital.

Compartilhe

Depois de um ano repleto de desafios, o private equity tem boas perspectivas para 2024. Com a economia global se recuperando, os investidores estão atentos às oportunidades que este setor oferece – principalmente por conta da queda gradual das taxas de juros.

Por que é importante: a busca por retornos mais elevados impulsiona e aquece o aumento do interesse em investimentos alternativos, inclusive em private equity e venture capital, com empresas buscando capital para otimizar sua expansão e inovações. 

Confira os seguintes tópicos neste blog:

  1. Retrospectiva do private equity 
  2. Expectativas para 2024
  3. Os setores mais aquecidos atualmente
  • Retrospectiva do private equity 

Panorama geral: as dificuldades não se reservaram apenas ao Brasil. Os Estados Unidos, por exemplo, permitiu que mais firmas listassem suas ações na bolsa –  medida que visa não só captar mais recursos, mas também fortalecer sua posição de negociação em meio às adversidades do mercado.

Em detalhes: ainda assim, houve uma escassez de oportunidades para ofertas públicas iniciais (IPOs, em inglês) e um ambiente pouco dinâmico para a negociação de ativos.

  • O desafio cresce quando surge a urgência de encontrar saídas para os investimentos, tornando o acúmulo de capital uma “preocupação”.

Os dados: conforme demonstram os números da S&P Global Market Intelligence, o setor conta com um acúmulo de US$ 2,59 trilhões em caixa, o que evidencia as complicações para encontrar opções de saída de investimentos e abrir espaço para investir em novos negócios.

Importante você ler | Entenda as classificações Ultra High Net Worth (UHNW) e High Net Worth (HNW), comuns no mercado privado e Family office: o que é e como funciona esse serviço?

  • Expectativas para 2024

O que vem por aí: esse aumento no capital revela o sucesso das gestoras em preservar ativos e tomar decisões estratégicas.

  • Entre elas, estratégias secundárias, em que um private equity acaba vendendo participações para outro – pouco comum no mercado brasileiro.

Dando o zoom: outra alternativa são as transações estruturadas, como uma espécie de operação de dívida, que garante pagamentos adicionais em caso de desempenho excepcional.

  • Além disso, sobressaem-se as separações corporativas, envolvendo aquisições de linhas de negócios de grandes corporações por parte das gestoras de private equity
  • Os setores mais aquecidos atualmente

O que temos visto: o setor de private equity é moldado pela dinâmica entre investidores que buscam por ganhos expressivos, através de empresas promissoras, que procuram por capital para alavancar suas iniciativas de expansão e inovação.

Perspectiva geral: setores como tecnologia e energia renovável chamam mais atenção atualmente. 

  • A tecnologia, impulsionada pela transformação digital e das inovações disruptivas – como inteligência artificial (IA) –, continua a ser uma das favoritas para investimentos.
  • A crescente ênfase na sustentabilidade e nas fontes de energias renováveis posicionam o setor de energia como um campo promissor para investimentos que buscam alinhar um bom retorno financeiro com responsabilidade ambiental.

Mais números: em comparação com o segundo trimestre de 2022, os investimentos em private equity avançaram 7%, de R$ 4,2 bilhões para R$ 4,5 bilhões. 

Leia antes de sair | Investimentos alternativos e mercado privado: qual a ligação entre eles? e O poder disruptivo das startups latino-americanas no mercado de privados

Invista em private equity

Publicado por Equipe DXA Invest.

Agradecemos pelo interesse! Entraremos em contato em breve.
Não foi possível enviar! Por favor, tente novamente.
PT