|
|

Como o venture capital impacta o setor de saúde atualmente

Um dos setores que o venture capital mais tem ajudado a impulsionar é o da saúde, contribuindo para o crescimento exponencial dessas empresas.

Compartilhe

Um dos setores que o venture capital mais tem ajudado a impulsionar é o da saúde. Graças ao suporte deste tipo de investimento, startups dessa área têm conseguido crescer exponencialmente, atuando diretamente na redefinição de como a medicina é acessada e praticada no Brasil e também pelo mundo. 

Entenda a relevância do venture capital para este mercado nos seguintes tópicos:

  1. O que é venture capital? 
  2. Venture capital e as inovações na medicina
  3. O que são healthtechs?
  4. O cenário do venture capital no Brasil 
  • O que é venture capital? 

Em resumo, o venture capital – investimento que faz parte do mercado de privados – busca empresas em estágio inicial de estruturação, também conhecidas como startups early stage. Na maioria dos casos, o investimento de capital de risco – geralmente através de fundos ou investimentos diretos – foca em companhias que possuem alguma solução tecnológica disruptiva para seu setor de atuação.

Mercado de milhões: de acordo com a Distrito, plataforma focada em empresas jovens, as startups do Brasil captaram captaram US$ 778,1 milhões nos primeiros seis meses de 2023.

Aprenda mais:

Vale lembrar que o venture capital não oferece apenas suporte financeiro às startups. Ele também ajuda com orientação, conhecimento e networking, estimulando todo o ecossistema em que o negócio está inserido.

  • Venture capital e as inovações na medicina

Mas afinal, como o capital de risco ajuda em inovações no setor da saúde? Ao compartilhar sua expertise com startups de saúde, o venture capital oferece um suporte estratégico e financeiro para que a empresa seja capaz de desenvolver novas tecnologias e disseminar sua adoção.  

Leitura recomendada: 

Alguns exemplos de tecnologias que conseguiram potencializar esse setor foram as plataformas de telemedicina, dispositivos de monitoramento de saúde, muitos deles portáteis e conectados à internet das coisas (de Internet of Things, IoT) e inteligência artificial, que também se destaca, com algoritmos avançados que auxiliam no diagnóstico precoce e preciso de condições médicas, aprimorando a eficácia dos tratamentos. 

As empresas que contaram com suporte estratégico no desenvolvimento dessas tecnologias e na gestão de seus modelos de negócio – especialmente nos períodos de mudanças de tendências, como a recente transformação digital – foram as que se saíram vencedoras neste mercado.

  • O que são healthtechs?

Startups de saúde, conhecidas como healthtechs, têm como principal enfoque a aplicação da tecnologia visando aprimorar a saúde da população. Essas empresas não apenas oferecem produtos e serviços inovadores, mas também disponibilizam plataformas de dados e soluções de mobilidade que desempenham um papel vital no suporte a diagnósticos e tratamentos, como contextualizamos anteriormente neste blog.

Além de impactar positivamente o bem-estar e a qualidade de vida dos indivíduos, essas organizações têm a promessa de trazer benefícios substanciais aos sistemas de saúde, sejam eles públicos ou privados, ao reduzir custos e permitir a personalização dos planos de tratamento para cada paciente, combatendo a ineficiência dos sistemas médicos e erros no atendimento que ocorrem ocasionalmente.

Explore mais o mercado privado:

As estatísticas não mentem: segundo uma pesquisa da Liga Ventures em parceria com a PwC , o número de healthtechs brasileiras cresceu 16,1% entre 2019 e 2022, chegando a 596 empresas, distribuídas em 35 categorias diferentes. Neste período, foi movimentado R$ 1,79 bilhão em operações de fusões e aquisições. 

A democratização do acesso a cuidados médicos, através da potencialização das healthtechs pelo venture capital, também se destaca como um objetivo central dessas iniciativas, pela otimização de processos e diminuição de custos. Dessa forma, as healthtechs não apenas abrem portas para tratamentos médicos mais acessíveis, mas também pavimentam o caminho para um setor de saúde mais eficaz e centrado no paciente, fundamentado na inovação tecnológica.

Crie sua carteira administrada e comece a investir em venture capital

Publicado por Equipe DXA Invest.

Agradecemos pelo interesse! Entraremos em contato em breve.
Não foi possível enviar! Por favor, tente novamente.
PT